01/07/15

A Voz Secreta das Mulheres Afegãs - O Suicídio e o Canto

A Voz Secreta das Mulheres Afegãs - O Suicídio e o CantoA Voz Secreta das Mulheres Afegãs - O Suicídio e o Canto by Sayd Bahodine Majrouh
My rating: 4 of 5 stars

Já não me lembro onde comprei ou porque comprei este livro, mas ainda bem que o comprei.

Sayd Bahodine Majrouh, intelectual e poeta afegão, reúne neste pequeno livro um conjunto de landays ou cantos de natureza oral da autoria de mulheres pashtun, um grupo étnico afegão. Majrouh percorre, primeiro na companhia da irmã, aldeias pashtun onde esta poesia de transgressão lhe é finalmente revelada e por ele coligida; mais tarde, vagueia em campos de refugiados no Paquistão, dando continuidade ao trabalho interrompido graças à instabilidade política na região. E não se limita a revelar os landays, comenta-os, enquadrando o leitor naquele tão distante universo onde a mulher, aparentemente, não tem voz.
Sayd Bahodine Majrouh dá-nos a conhecer a identidade da mulher pashtun através do seu canto, da sua voz plena de vontade. Uma voz consciente do seu lugar no mundo. Do silêncio a que os maridos escolhidos pela família as votavam, emerge uma melodia breve mas intensa onde a mulher pashtun canta o verdadeiro amor e o verdadeiro amado, os encontros fortuitos, o desejo que a consome, a revolta contra o destino cruel, o sonho da revelação e da fuga, a ignomínia do cárcere em que vive.

Alguns exemplos:

“Em segredo ardo, em segredo choro
Sou a mulher pashtun que não pode revelar o seu amor”

Ou

“Vem depressa, amor, quero dar-te a minha boca!
Esta noite em sonhos vi-te morto e fiquei louca”

Ou ainda

“Tinha pulseiras, mas não as pus
Agora vou ter com o meu amante sem enfeites, de braços nus”

Sayd Bahodine Majrouh, voz incómoda que deu a conhecer ao mundo estas incómodas manifestações de individualidade feminina pashtun, foi assassinado no exílio em Peshawar no Paquistão em 1988.


View all my reviews